2 de fevereiro de 2017

POTNIΛ • BOOKTRΛILER






Do grego Πότνια ['soberana', 'rainha'], PÓTNIA é um título de honra empregado por poetas [clássicos e obscuros] para exaltar deusas e mulheres de extremo poder. Epíteto para a profusão da palavra. A mais antiga Musa.

edição • Vanderley Mendonça
video • Mariana Waechter

SELO DEMÔNIO NEGRO 2017

17 de fevereiro de 2016

SALVE, SALVE






























golpe que não esquiva a pátria





ANTOLOGIA POÉTICA 29 DE ABRIL: O VERSO DA VIOLÊNCIA
São Paulo: Editora Patuá, 2015

●  saiba mais clicando aqui AQUI
● para comprar antologia29deabril@yahoo.com.br









14 de fevereiro de 2016

para um entendimento da serendipidade



Se eu voltasse a rezar seria pelo fato dos livros certos no momento derradeiro. Pelo ofício da leitura na tensão de uma coletânea que se vai concluindo — de verso próprio — no aprendizado contínuo. Seria no ápice. Pela grata servidão alcançada a cada dia — ao poema — no acaso desses livros — todos certos a seu modo. Em módulos todo ouvidos no sentido extremado do estudo.
Me rezam sempre — como se eu fosse uma criança na primeira chuva — como substância favorável à restituição do cosmo — no contato questionado e na aplicação obediente das notas sobre um tema que não se ensina. Se eu voltasse seria com as mãos entrelaçadas na hora mais escura — descendo até a revelação da página — cumprindo os capítulos e as exigências tortuosas — honrando os olhos para entendê-los religiosamente. Por inteiro. 
Me rezam os livros — e até acredito.

1 de janeiro de 2016

extrato






























à maneira de Cecília



sempre tive este rosto de gárgula
fogo fátuo assim forte
assim mármore
a símbolo criado no leite absurdo
do quintal da tarde

já tinha estas patas de destino
a garganta triangular na perfeição da moldura
na altura do piano da cor dos castiçais
e este coração gritado
entre pó de estrela e mandrágora

sou eu jaguar da mudança
tão prateado tão destroço
tanto cloro espelho e sudário
dando acesso à indagação convulsiva
da sombra tebana:

qual compasso ousa o primeiro círculo?