1 de janeiro de 2016

extrato






























à maneira de Cecília



sempre tive este rosto de gárgula
fogo fátuo assim forte
assim mármore
a símbolo criado no leite absurdo
do quintal da tarde

já tinha estas patas de destino
a garganta triangular na perfeição da moldura
na altura do piano da cor dos castiçais
e este coração gritado
entre pó de estrela e mandrágora

sou eu jaguar da mudança
tão prateado tão destroço
tanto cloro espelho e sudário
dando acesso à indagação convulsiva
da sombra tebana:

qual compasso ousa o primeiro círculo?